quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Mofo e quinquilharias

Porquê FLAMBADA! também é poesia! Aberta a sugestões comentários construtivos.

mofo

escondendo no escuro
os segredos mais sujos
os pedaços da existência
apodrecida
maltrapilha
encardida

as roupas no fundo do armário
as meias no chão
não importa
importa?
não mais

embolado num canto
no canto mais escuso
enrolado e enegrecido
o sentimento fresco de outrora
agora cheirando a mofo
mofo de velho
mofo de podre

esquecido e abandonado
cheiro indigesto
aparência ruim
a dor do sufocamento
sentimento morto às pancadas
trancos e pauladas

lá fica ele no canto
só.

Minha dica de hoje pra quem gosta de cinema, música e joguinhos: http://www2.uol.com.br/flashpops/jogos/flashpops.shtml
Teste sua memória! Há!

6 comentários:

Luiz disse...

AAAAAAH! PRECISO DE UMA DOSE DE MÉTRICA!! (Vai ler Camões) (just kiddin', viu?). En verdad, está bem legal. Long Live verso livre.

Laura M. disse...

DETEEESTO MÉTRICA!

akira disse...

podia ser uma grande nota
um valor

algo que me dê fome
ou um anseio

seres de desejo
seres de segredo

Não sei sentir-me onde estou
acabo por ler meus escritos

e nas páginas, pareço-me igual,
mas em outra época, e com outras pessoas

uma coisa se repete
que criar é preciso

transformar minha vida em algo grande
de valor

talvez para isso acabe por perdê-la de mim
e eu só queria estar na praia
num dia frio de sol
com você ao meu lado

akira disse...

comentário, gostei muito da sua poesia...

Lucy disse...

q legal laura! me fez tr saudads do meu pobre blog abandonado -_-
prometo entrar e comentar ...sempre q eu lembrar o endereço \o> bjos

tunnie disse...

o quê? LAURA E POESIA? O QUE É ISSO? ONDE EU ESTOU? estou no céu, mãe?
ahaha.
gostei, quero ver mais.
laurinha querida, bem vinda. :}