quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Sobe?

Saguão do prédio, esperando o elevador.
Chegou mais alguém. Bah, é o cara estranho do 902. Ah, não, ele vai puxar conversa. Talvez se eu olhar pra baixo ele desiste. Se eu lixar as unhas, quem sabe. Não, lixar as unhas seria falta de educação.
-Boa tarde.
-Boa tarde.
Olhar fixo pro chão. Se ele falar, eu digo o quê? Por favor, não fale. O elevador não chega. São três da tarde, o elevador não pode estar tão ocupado. 9, 8, 7... Que droga, eu tô no térreo. 4, 3, 2...
Ah, finalmente.
-Você primeiro.
-Obrigada.
-Quente, né?
Droga. Droga. Odeio conversas de elevador. "Papo estrela", como diz meu pai. Nunca soube por quê. Acho que é porque só serve pra enfeitar.
-É... Parece que o verão chegou mesmo.
-Realmente... Eaí, se preparando pro vestibular?
-Não, não. Só ano que vem.
2, 3... Droga, eu moro no 6. Que estranho, o cabelo dele tá castanho. Ele tinha cabelo grisalho. Coisa de velho rico, tipo Sílvio Santos, eu acho. Ouvi dizer que ele pinta o cabelo de Acajú. Nunca tinha pensado que Acajú pudesse ser considerado uma cor. Não tem uma cidade que chama Acajú?
-E o pai, como tá?
Acajú...
-Oi?
-O pai? Como tá?
-Aaah, sim, tá bem, bem, sim.
6. Ufa.
-Tchau, até mais!
-Até mais!
Aracaju. Esse é o nome da cidade.

5 comentários:

Juliana Palma disse...

Muito bom! Coversas de elevador são péssimas mesmo. 'Será que chove?'
beijo

akira disse...

hahahaha
situações chatas q se tenta fugir com os pensamentos.

acaju

beijo

luiza disse...

haha muito bom!
situação complicada essa hein!

fernandombdias disse...

curti

Luiz disse...

Pra mim um número dois com catupiri.